Organizadores da Festa do Peão em Piacatu somem e evento é cancelado


Pessoas e empresas que trabalharam no evento ficaram sem receber; show também foi cancelado

08/07/2018 21:05 - Atualizado em 31/08/2018 10:49 | Por: Otávio Manhani

Otávio Manhani/Jornal Comunicativo

Festa do pe%c3%a3o de piacatu 2018 %2832%29 original
Arquibancadas vazias e touros soltos na arena: rodeio interrompido

Uma Festa do Peão realizada em Piacatu nesse final de semana por um grupo que se identificou como apoiadores da Associação Jéssica Rosado - que apoia portadores de câncer e seus familiares -, gerou desconforto e indignação dos moradores, além de ter deixado furiosos praticamente todos os envolvidos com a estrutura do evento.

O evento, denominado como Barretinho - em alusão à Festa do Peão de Barretos (SP) -, teve início na sexta-feira (6), com pouquíssima adesão do público. A Festa do Peão teve apenas montarias em touros e shows. O valor do permanente para as três noites custou R$ 60.

Conforme apurou a reportagem, duas turmas contendo 48 peões cada participaram das montarias, sendo uma turma no dia 6 e outra no dia 7 (sábado). Hoje (8) era para ter acontecido a semifinal e a final do rodeio. Mas os organizadores sumiram deixando muita gente furiosa e com prejuízos.

Na noite de hoje foi anunciado show com a dupla sertaneja Fiduma e Jeca. Nas redes sociais foi divulgada uma nota informando que o show da dupla foi cancelado devido o descumprimento de contrato. O Comunicativo entrou no site oficial dos cantores, mas a reportagem não localizou na agenda sobre o show de hoje em Piacatu.

A reportagem esteve no local onde foi montada a estrutura do rodeio, que fica no quarteirão localizado em frente a reserva ambiental Fortunato Vendrame. Nenhum dos organizadores foi encontrado e o proprietário do som já tinha retirado seus equipamentos.

O proprietário da estrutura do palco, que é da cidade de Osvaldo Cruz (SP), também estava retirando a estrutura. Ele disse ter alugado o palco a R$ 3,5 mil e que recebeu apenas parte do valor. Ele pediu para que não fosse identificado na reportagem.

Também disseram ter ficado sem receber pelos serviços prestados no evento a equipe de segurança, de Piacatu; o responsável pelas boiadas, de Clementina; assim como quem alugou os alambrados que cercou o local onde foi montado o evento.

Quando a reportagem chegou ao local, um caminhão já estava embarcando os touros e vários peões sequer compareceram no evento após terem ficado sabendo do ocorrido. Um dos peões, que se identificou como Fernando Henrique dos Santos, 24 anos, de Buritama (SP), deu um depoimento ao jornal.

O peão disse ter ficado sabendo do evento pelas redes sociais e entrou em contato com um dos organizadores, que se identificou como Reginaldo. O peão mostrou à reportagem um depósito que ele disse ter feito, no valor de R$ 100, e que a quantia era referente a sua participação nas montarias.

De acordo com Santos, a informação que foi transmitida aos peões era que o prêmio, no valor de R$ 6 mil, seria dividido entre os dez peões finalistas. Ele também reclamou das más acomodações.

"Desde sexta-feira que eu e outros dois colegas estamos dormindo em uma barraca montada debaixo do camarote. Somente hoje que fiz uma refeição. Comi uma marmita que um dos tropeiros pagou pra mim depois que eu o ajudei", relatou o peão de Buritama.

A reportagem também apurou que alguns dos peões que participavam do rodeio ficaram alojados nas dependências do Ginásio Municipal de Esportes. O local onde foi montada a estrutura para a realização do rodeio foi cedido pela Prefeitura.